Newsletter
Fique informado sobre o Sitio do Carroção

Nome:
e-mail:

História


         Uma história que corre como as águas de um rio

Como nasce uma empresa? Como se desenvolve? Qual sua real finalidade? Essas perguntas tão simples nos fazem pensar na linha do tempo. Mas o tempo, que é a História, nunca é somente linear. A História do Sítio do Carroção, como toda história, não segue rigidamente um plano fixo, nem se direciona para metas delimitadas e estreitas. É uma história que corre como a água, que "não sabe se vai cair ou cantar, na cachoeira, e que corre, e corre, ligeira", como diria Manoel Cerqueira Leite, professor catedrático, poeta e patriarca da família Rocha Leite. Foi ele e sua esposa D.Ruth que adquiriram o sítio Ribeirão das Pederneiras, nos anos sessenta, somente pensando no lazer da família, e no sonho de plantar por simples prazer. Nunca poderia imaginar que seu filho, Luís Gonzaga que detestava "as quatro paredes da escola" e se tornou publicitário e artista plástico, iria fazer dessa pequena área um grande empreendimento. O que começou em família logo se ampliou como empresa, para depois tomar seu rumo, como acampamento de férias para crianças. A vocação para a Pedagogia sempre esteve latente no pensamento do idealizador: Luís Gonzaga nos relata essa passagem de 1979 em "Uma ideia que caiu do céu". Mas o Sítio do Carroção, como as águas, segue seu destino incorporando novas ideias e vocações. Hoje, ele segue nas mãos firmes de equipes rigorosamente treinadas para atender às exigências de seu público. São mais de 150 funcionários diretos, chegando a mais de 200 em suas temporadas de férias, distribuídos entre inúmeras equipes. Observando a linha do tempo, percebemos que a empresa que nasceu de um sonho de lazer familiar desenvolveu-se a partir da demanda de seus clientes e suas metas vão se ampliando cada vez mais para seguir sua missão, que se mantém firme: inovar sempre, constituir sólidas bases operacionais e, principalmente, manter um canal aberto com seus diversos públicos para atender cada vez melhor.



Luís Gonzaga, o idealizador do Sítio do Carroção

  • É lançada a pedra fundamental: a casa de madeira é construída pessoalmente por Luís Gonzaga Rocha Leite. Sem um propósito definido para o local, com apenas a intenção de proporcionar finais de semana agradáveis para a família e amigos, ele inicia a procura para a escolha do nome a ser escolhido para o sítio.

  • A pesquisa para a escolha do nome continua. A ideia é escolher um nome ao mesmo tempo singelo e diferenciado. Um antigo carroção, encontrado por Luís Gonzaga durante filmagens publicitárias, é restaurado e torna-se o marco do empreendimento. A partir daí, todos os visitantes já denominam o local como "Sítio do Carroção"! Nesse mesmo ano a piscina é construída e tem como diferencial uma cachoeira com aparência totalmente natural.

  • Ano de inauguração do Sítio do Carroção. Sem saber exatamente qual será a missão da empresa, a sócia Cleide Souza Lima Leite, que cursa Educação Física na USP, vislumbra a possibilidade de trabalhar com recreação e utilizar o espaço para a realização de acampamentos de férias. Ela não imagina que, com essa ideia, estará trilhando o que será o principal propósito da empresa no futuro. Com isso, Cleide e sua equipe iniciam a história dos acampamentos no
    Sítio do Carroção.

  • O Sítio já tem algumas temporadas de experiência. Os acampantes, na maioria filhos de amigos e familiares, vão divulgando naturalmente o empreendimento. Nesse momento, sem a estrutura necessária para atender à nova demanda, é providencial o auxílio de Wanda del Rigo: ela disponibiliza seu próprio telefone para ajudar no atendimento. Com isso, ela se identifica com a filosofia e a proposta do Sítio do Carroção. A partir de então, tivemos a satisfação de contar com sua iniciativa nas inúmeras funções que exerceu, de forma exemplar, até 2010.

  • Após dois anos de ajustes, realiza-se a primeira temporada oficial, com todos os padrões definidos: refeições, monitoria, atividades e todos os procedimentos necessários para uma boa programação. Quarenta acampantes passam vinte dias inesquecíveis de férias no Sítio do Carroção - tão inesquecíveis que hoje enviam seus filhos, sobrinhos e filhos de amigos para as temporadas.

  • Maria da Graça (Gracinha) e Domingos Barone, publicitários, colegas de trabalho e grandes amigos de Luís Gonzaga, entram na sociedade. A parceria, que já estava consolidada no trabalho em São Paulo, perpetua-se no Sítio do Carroção em forma de projetos e novos conceitos. O espaço se amplia com a aquisição de vários alqueires vizinhos.

  • É um ano de muitas ideias e uma proposta ambiciosa: o Projeto Aldeia que prevê um imenso complexo hoteleiro em estilo normando e uma fortificação em estilo colonial. É o único projeto do mundo com duas arquiteturas tão distintas em um mesmo local. Para apresentá-lo aos órgãos competentes, Luís Gonzaga e Barone constróem uma imensa maquete, incrivelmente detalhada (veja foto ao lado), com a colaboração dos filhos de Barone: Edson e Dalton. Como sua aprovação dependia da intensa burocracia da época, o projeto é adiado.

  • O Projeto Aldeia infelizmente é cancelado devido a entraves impostos pela legislação da época. Mesmo assim, são erguidas várias edificações seguindo traços e arquiteturas presentes no projeto, como as pousadas "Sol" e "Lua". Ainda sem ter um rumo completamente definido, o Sítio do Carroção continua com suas temporadas que já estão se tornando tradicionais. Nessa época vários clubes paulistanos utilizam sua estrutura para realizar suas "colônias de férias".

  • Este ano traça o futuro do Sítio do Carroção. Durante uma temporada de férias, Luís Gonzaga chama a atenção de todos para ouvir no rádio de seu Dodge as notícias de última hora (que, por brincadeira, ele havia gravado previamente): "E atenção - o Skylab, estação espacial da NASA está para cair em nosso planeta a qualquer instante e há grandes possibilidades de fragmentos caírem próximos à cidade de Tatuí". Com sua grande experiência cenográfica, Luís Gonzaga cria um ambiente impecavelmente real, com efeitos especiais, tornando totalmente verídica aquela situação. A reação de todos foi de tamanha magnitude que a consequência dessa vivência foi inesquecível e com certeza estimulou um grande interesse pela área astronômica.

  • Após o surpreendente acontecimento do Skylab (leia o texto acima) e observando o quanto uma situação imaginária pode ser benéfica para formação de uma criança, o Sítio do Carroção se posiciona de maneira definitiva a se tornar uma ferramenta para que as escolas possam proporcionar oportunidades estimulantes que aguçam a curiosidade dos alunos e a vontade de ensinar dos professores. Também são iniciados os trabalhos com algumas escolas de vanguarda de São Paulo, que investem na ideia de "escola sem paredes", passando a utilizar o Sítio do Carroção como uma extensão de seu espaço.

  • Sempre atento aos anseios das escolas, o Sítio do Carroção percebe que muitas delas dão grande valor aos torneios esportivos. Dentro de sua filosofia de abranger todo o conhecimento a partir de vivências emocionalmente prazerosas, é finalmente construído um Ginásio Poliesportivo que não apenas oferece possibilidades de desenvolver esportes, mas vai mais além: é equipado com um palco para que os alunos participem de peças teatrais, apresentações e também para realização de jogos educativos.

  • A vocação pedagógica do Sítio do Carroção se sedimenta. As escolas percebem que as vivências dos alunos são apoio inquestionável para o desenvolvimento de suas diferentes linhas pedagógicas. Afinal, servem de motivação para toda a grade curricular. Através de inúmeros relatos, percebe-se nitidamente a facilidade com que os alunos assimilam o conteúdo em sala de aula. A partir desses acontecimentos, algumas escolas já incluem em seus planejamentos anuais a vinda ao Sítio do Carroção.

  • Este é um marco importante: Luís Gonzaga e Cleide mudam-se com seus filhos para o Sítio do Carroção. Agora ele tem seu foco criativo totalmente voltado para o empreendimento. Este também é o ano que registra a passagem do Cometa Halley, o que demonstra ainda mais o interesse das escolas por temas pedagógicos e faz com que o Sítio do Carroção adquira equipamentos para observação celeste. Iniciam-se os projetos pedagógicos baseados em temas do currículo escolar.

  • Ao redor de um grande lago, é construído o Projeto Geográfico, hoje chamado de Planeta Terra, que consiste em uma macromaquete interativa em que os alunos podem perceber diferentes relevos e compreender de forma mais clara a geografia de nosso planeta. Cordilheiras, rios, baías, penínsulas, gêiseres, entusiasmam os professores por seu aspecto didático. Percebendo a oportunidade de oferecer novos projetos similares, mas focados em outras disciplinas e objetivando o que se tornou a principal vocação do Sítio do Carroção, o filho mais velho de Luís Gonzaga, Osvaldo Souza Leite (Dum), começa a cursar Pedagogia.

  • O restaurante é construído com ampla área de circulação e conta com uma cozinha especialmente projetada, de acordo com os cardápios elaborados por profissionais de nutrição. A cozinha recebe todos os equipamentos e materiais para atender a um número de clientes sempre crescente e com a qualidade final exigida pelo Sítio do Carroção. Afinal, sua filosofia nunca permitiu improvisações.

  • Com a crescente procura por parte das escolas, o Sítio do Carroção percebe que chegou o momento de dedicar-se ao que seria um de seus diferenciais: a profissionalização da monitoria, com capacitações, vivências e reciclagem constante. Para tanto, o segundo filho de Luís Gonzaga, Manoel Souza Leite (Popó), reestrutura o atendimento e cria todos os procedimentos e padrões que são válidos até hoje. São adquiridos todos os equipamentos disponíveis na época para tornar mais simples e eficazes todos os detalhes envolvidos na programação. Luís Gonzaga dá novo impulso a obras de infraestrutura.

  • Este é o ano do desenvolvimento pleno dos jogos educativos, inspirados nas necessidades apresentadas pelas escolas. As atividades pedagógicas lúdicas, que já eram ricas no período diurno, estendem-se para o período noturno e proporcionam situações divertidas que aguçam a curiosidade dos alunos e a vontade de ensinar dos professores. Tudo isso sempre com originalidade, como por exemplo no jogo Palavra Oculta - que faz com que o jogo da forca se transforme em uma disputa divertidíssima de escolhas de palavras - e a Conquista da Ilha, que une todos os alunos na tarefa de construir uma ponte com peças de quebra-cabeça, até a meta final, que é a ilha.

  • A gestão do Sítio do Carroção, que antes era familiar, passa a ter uma administração profissional, contando com diversos setores, direcionados para as varias funções requeridas para o desenvolvimento da empresa. Com isso, o Sítio do Carroção pode realmente concretizar sua filosofia de rigor profissional, pois pode contar com colaboradores especializados para exercer cargos específicos a cada área.

  • No Brasil fanático por Fórmula 1, a inauguração da minipista Spazukamonaring (um misto de Spa Francorchamps, Suzuka, Mônaco, Hungaroring, pistas utilizadas pela F1), já está programada para julho: um vizinho ilustre do Sítio do Carroção aceita o convite para cortar a fita de inauguração e dar a volta inaugural - Ayrton Senna. Porém, o destino o leva em maio, no auge de sua carreira. Em sua homenagem, é incrustada em bronze sua assinatura no local onde ele sempre gostou de estar: na pole position. Também o mini-hotel do circuito recebe o nome de SPA, não com a conotação normalmente imaginada, mas sim uma sigla para "Senna Pole Always".

  • Na Trilha do "Indiana Jones", a aventura passa a contar com um "gran finale": um tobogã com mais de 100 metros de comprimento, passando por cavernas, cachoeiras e terminando com um delicioso mergulho no Ribeirão das Pederneiras. Os alunos percebem que estudo, invenção e aventura sempre podem estar ligados, pois o personagem que dá o nome a esta aventura é o símbolo do arqueólogo e professor que nunca desiste de sua pesquisa.

  • Depois de um ano de trabalho, Luís Gonzaga e uma equipe liderada por sua filha, a escultora Rita Souza Leite, montam o enorme esqueleto do Tiranossauro Rex, com mais de 4 toneladas, e apartir de técnicas e materiais totalmente inovadores. A ideia é que os alunos também tenham acesso a fósseis como paleontólogos-mirins. O clima de aventura aguça sua inteligência emocional - teoria que viria a ser desenvolvida e propagada pela mídia apenas nos anos 2000.

  • Após a conclusão do Tiranossauro Rex, o Sítio do Carroção passa a formular roteiros pedagógicos com aventuras em sequência lógica. Assim, cresce a ideia de adquirir um avião para simular um pouso forçado de uma equipe de paleontólogos em busca do Elo Perdido. O roteiro se inicia nas trilhas da mata, passa pelo avião e culmina com o sítio paleontológico e o Tiranossauro Rex. Até hoje o avião DC-3 é uma das atrações mais admiradas nesse roteiro. Desmontado e trazido de Roraima, só a aventura do transporte deste avião já valeu inúmeras reportagens. Saiba mais sobre nosso DC-3

  • Sempre atento aos anseios de seus clientes, o Sítio do Carroção observa que muitas escolas fazem visitas ao Parque do Petar e se ressentem por não poderem levar os alunos menores que, exatamente nessa fase, estão aprendendo sobre cavernas. A equipe de obras prepara-se para construir uma infraestrutura ideal para quem deseja conhecer mais sobre espeleologia sem os imprevistos naturais decorrentes. Surge, então, a Caverna do Lago Azul, em meio à aventura Enigma da Pedra. Esta vivência, além de instrutiva, é extremamente prazerosa, pois as águas do Lago Azul são agradavelmente aquecidas.

  • Sabendo das preocupações dos pais e das escolas, o Sítio do Carroção, empresa que prefere não aumentar a quantidade, mas sim a qualidade, constrói as Pousadas do Campanário, tornando-se o único acampamento do Brasil a abolir os famosos "beliches". Hoje todas as pousadas contam com camas individuais. Isto, demonstra o rigor do bom atendimento sobre a oportunidade de lucro. Também é nesse ano que o Carroção conta com a presença da psicopedagoga Bernadete Zillo, que desde então colabora como consultora com inúmeras sugestões fundamentadas em sólido know-how adquirido em muitos anos como diretora e proprietária de escola.

  • Inaugura-se o maior aquário de água doce do Brasil. Com ele, torna-se possível mais um projeto pedagógico: o Bio Planeta. Esse aquário tão especial possibilita dois pontos de vista diferentes: o da vida na superfície e o da vida subaquática. Visto de fora, ele se assemelha a um pequeno lago em uma paisagem tranquila onde Jacarés do Papo Amarelo descansam ao sol. Visto a partir de um túnel subterrâneo, ele possibilita um recorte como uma janela dentro da água, onde peixes e jacarés convivem em harmonia. Além desse enorme aquário, é instalada uma sala especial com vários outros aquários que compõem o Laboratório de Peixes Brasileiros, com inúmeras espécies fluviais.

  • O Sítio do Carroção é eleito pela revista VEJA o Melhor Acampamento do Brasil e é capa da revista Veja-SP. Este é um ano de grande profissionalização de todos os setores. A ordem é: "Reestruturar para atender ao crescimento da demanda". Treinamentos, capacitações e compras de equipamentos se multiplicam. A infraestrutura passa por grande renovação e são comprados geradores de alta capacidade e rapidez de acionamento. Também nesse ano todo o trajeto até o Sítio do Carroção, antes composto por quilometros de estradas de terra, é totalmente asfaltado.

  • É inaugurado o prédio da administração, com setores bem caracterizados e definidos. Este é o ano em que a Central de Reservas passa a funcionar totalmente a partir do Sítio do Carroção. Para isso, as redes de telefonia e Internet são renovadas com a utilização do que há de mais avançado para a época: fibra óptica. Com essa tecnologia, o atendimento aos clientes supera sua meta de qualidade.

  • Devido ao reconhecimento do trabalho com escolas e temporadas, o Sítio do Carroção passa a ser procurado por outros públicos, que desejam um espaço diferenciado para seus eventos. Para atender a esses públicos, é construído o Espaço de Eventos. O ambiente interno é totalmente climatizado e conta com Internet de banda larga, projetores multimídia e sistema de sonorização para qualquer tipo de evento - desde palestras até shows. Como um espaço multiuso, nas temporadas de férias e carnaval torna-se o restaurante dos menores e, à noite, transforma-se em discoteca.

  • Percebendo que inúmeras escolas anseiam por trazer seus alunos, mas se deparam com a restrição do número mínimo exigido na reserva, o Sítio do Carroção encontra a solução ideal para atendê-las e constroi 8 pousadas menores com 12 lugares: Orion, Pegasus, Polaris, Sirius, Antares, Electra, Fênix e Gemini. Assim, com as novas opções de acomodação, essas escolas, que antes não alcançavam o número mínimo suficiente, passam a ter a oportunidade de trazer seus alunos.

  • Quem é de Tatuí muitas vezes se faz reconher por ícones da cidade. Por diversas vezes o Sítio do Carroção é lembrado. É esse reconhecimento que faz com que a empresa deseje, cada vez mais, participar da vida da comunidade. Além disso, é uma forma de reconhecer a integração que existe entre ela e seus colaboradores tatuianos. Por isso, as ações sociais estão estreitamente ligadas aos propósitos da empresa.

  • Uma empresa que tem clientes diferenciados e escolas presentes todos os dias do ano e uma estrutura que sempre se renova necessita de inúmeros itens sempre à mão. Por isso, o Sítio do Carroção empreende a construção de 6 amplos galpões onde passam a operar vários segmentos: setor de obras e saneamento, estoque, almoxarifado, oficinas e outros setores. Todos essas áreas são administradas por um back stage compostos por colaboradores sempre atentos para que todo material seja oferecido a qualquer momento e toda manutenção necessária seja efetuada, garantindo atividades ininterruptas e instalações em perfeito estado de uso.

  • O Sítio do Carroção é eleito pelo Discovery Channel como o melhor da América Latina. Dentre os cinco destinos que concorriam ao prêmio ele foi o único representante brasileiro. A empresa e todos os seus colaboradores recebem com muita satisfação esse prêmio, como um sinal de reconhecimento merecido pelo esforço de muitos anos. Afinal, não basta fazer um trabalho bem feito: é preciso ter diferenciais. E o diferencial de que o Sítio do Carroção mais se orgulha é a sua originalidade e profissionalismo.

  • No centro do Sítio do Carroção, inúmeras atrações são vivenciadas das mais diversas formas. Na maioria dos casos, elas fazem parte de momentos de livre escolha. Neste ano, há o acréscimo de mais uma opção: é inaugurada a Lagoa Central, que passa a fazer parte do complexo aquático, como mais uma opção nos horários de sociabilização, lazer e entretenimento. Ela é uma das preferidas pelos alunos menores, por não ser tão ampla quanto a piscina principal e ser mais aconchegante. Assim, mesmo os que estão se iniciando na natação, podem brincar à vontade, com tranquilidade e segurança.

  • Para incentivar a prática de observação a partir de um ângulo de visão inusitado, é criada a Trilha do Quatipuru, assim chamada porque passa por uma área de habitat dessa espécie de esquilo. A diferença entre essa trilha elevada e a prática de arborismo é que o participante não precisa se equipar para utilizá-la. Monitorados por um sistema de câmeras, todos caminham pela trilha em um espaço totalmente envolvido por cabos de aço e telas de proteção. Assim, podem vislumbrar tranquilamente a natureza a 15m de altura, entre as copas das árvores, e observar as aves que são atraídas pelo sistema de sonorização que simula cantos de pássaros e ruídos de outros animais.

  • Após mais de 40 anos, Luís Gonzaga, sempre à frente da empresa, deixa esse posto para exercer o cargo de consultor, passando a presidência diretiva para Manoel Souza Leite (Popó). Iniciam-se as obras de ampliação da cozinha e da lavanderia, com a aquisição de equipamentos industriais de alta tecnologia para atender às necessidades atuais e futuras. Além disso, o Sítio do Carroção comemora a inauguração do novo site, com conteúdo mais detalhado e explicativo.